CORRELAÇÃO ENTRE DERIVA E ESPECTRO DE GOTAS GERADO POR PONTAS DE JATO PLANO

Como parte das estratégias de redução de deriva, as pontas de pulverização são frequentemente selecionadas pelo Diâmetro Mediano Volumétrico (DMV) gerado. No entanto, o desempenho da aplicação na redução de deriva também está relacionado à interação entre a tecnologia da ponta e as características da calda de pulverização. O objetivo deste trabalho foi analisar a correlação entre o potencial de deriva em túnel de vento, DMV, percentual de gotas menores que 100 μm (%<100) e a amplitude relativa (AR) gerados por pontas jato plano, pulverizando diferentes caldas com adjuvantes. Ao todo, 37 tratamentos foram realizados, considerando pontas e caldas de pulverização. Um túnel de vento e um analisador de gotas foram utilizados para a coleta de dados em condições laboratoriais.

Os resultados mostraram que os componentes da solução de pulverização influenciaram o nível de correlação entre as características dos espectros de gotas e a deriva.

Na maioria das vezes os resultados encontrados foram:

  • O aumento do DMV e AR resultou em redução do potencial de deriva;
  • O aumento do %<100 resultou em aumento do potencial de deriva;
  • Algumas caldas de pulverização resultam em diferentes graus de correlação, ou mesmo alteram a relação descrita anteriormente.
  • A escolha da Técnica de Redução de Deriva (TRD) deve levar em conta os componentes que caracterizam o espectro de gotas, não apenas fatores isolados.

Palavras-chave: Tecnologia de aplicação, adjuvantes, caldas de pulverização, defensivos agrícolas.

ANTUNIASSI, U. R. et al. (2014)

Aspects of Applied Biology 122, 2014
International Advances in Pesticide Application

Basta preencher o formulário abaixo para receber o artigo em seu e-mail.