EVOLUÇÃO DA TAXA DE APLICAÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DE PULVERIZADORES UTILIZADOS NO MATO GROSSO EM 2016

Muitas mudanças relacionadas à tecnologia de aplicação de produtos fitossanitários têm sido observadas nas regiões agrícolas do Brasil, implicando em novos desafios nos campos técnico e científico. Nesse sentido, o objetivo deste trabalho foi avaliar a taxa de aplicação, capacidade do volume do tanque, tamanho da barra e ano de fabricação de pulverizadores utilizados no estado de Mato Grasso em 2016. Além disso, foi realizado um estudo complementar para avaliar a evolução da taxa de aplicação média utilizada de 2008 a 2016. Os levantamentos foram feitos em localidades onde ocorreram as atividades do Programa de 

Aplicação Responsável (PAR), em regiões de destaque na produção de grãos e fibras. Os resultados indicaram que 75% dos pulverizadores possuíam tamanho de barra igual ou superior a 28 m, sendo que 40% possuíam apenas 2 anos de uso. Ao todo, 55% dos pulverizadores possuíam tanques de pulverização com capacidade igual ou superior a 3000 L. Para a taxa de aplicação, a média observada em 2016 foi de 79,6 L ha-1, uma redução de 32,5% perante os 118,6 L ha-1 utilizados em 2008. Além de pulverizadores modernos, com tanque de pulverização com grande capacidade de volume de calda e com barras longas, o uso de menores taxas de aplicação se estabelece como prática agrícola corriqueira no Mato Grosso.

Basta preencher o formulário abaixo para receber a matéria em seu e-mail.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *