INFLUÊNCIA DA VELOCIDADE DE VOO E ADJUVANTES NO ESPECTRO DE GOTAS EM APLICAÇÕES AÉREAS DE GLIFOSATO

A deriva é uma das consequências mais perigosas em uma aplicação aérea inadequada de glifosato. Vento, tamanho das gotas, altura da aplicação e distância de áreas sensíveis são os fatores mais importantes para a deriva. O tamanho da gota é afetado pelos bicos, pressão operacional, velocidade de voo, ângulo de deflexão e propriedades físico-químicas da calda de pulverização. O objetivo deste estudo foi avaliar o efeito da velocidade de voo e do uso de adjuvantes no espectro de gotas em aplicações aéreas de glifosato. O estudo foi realizado em um túnel de vento de alta velocidade na Universidade de Nebraska, EUA, no Pesticide Application Technology Laboratory (University of Nebraska–Lincoln, West Central Research and Extension Center, North Platte, NE). 

As aplicações aéreas foram simuladas com quatro velocidades diferentes (160, 190, 220, 250 km h-1) e glifosato combinado com adjuvantes (óleo emulsionável com alta concentração de surfactante, agente redutor de deriva, surfactante não iônico e acidificante, polímero e glifosato isolado).  O espectro de gotas foi avaliado usando um instrumento de difração a laser Sympatec Helos, disposto a 90 cm da ponta da ponta de pulverização (CP11-4015). Os parâmetros de distribuição volumétrica do espectro de gotas (DMV, DV0.1 e DV0.9) e a porcentagem de gotas menores que 100 μm foram avaliados. A amplitude relativa (AR) foi calculada para indicar a homogeneidade do tamanho das gotas [(DV0.9 – DV0.1) / DV0.5]. As soluções de glifosato com adjuvantes apresentaram um DMV maior que o glifosato solução isolada a 160 km h-1 de vento. A 250 km h-1 apenas a solução de glifosato com polímero apresentava maior VMD. No entanto, o glifosato com o polímero apresentou o menor DV0.1 e a maior AR e porcentagem de gotas menores que 100 μm. Geralmente, a influência dos adjuvantes no tamanho das gotas foi reduzida ou silenciada à medida que a velocidade do vento aumentou. O polímero avaliado neste estudo falhou como um agente de redução de deriva, especialmente em velocidades do vento mais altas. Embora nem todos os polímeros tenham sido estudados, cuidados devem ser tomados se usar essa classe de adjuvantes em aplicações aéreas. A interação da velocidade com adjuvantes influencia na distribuição no espectro de gotas em aplicações aéreas de glifosato, e deve ser considerada pelos aplicadores para mitigar a deriva do herbicida para o ambiente circundante. Mais estudos são necessários para entender melhor a interação entre a viscosidade da solução e o efeito de cisalhamento do ar no processo de atomização e a distribuição do tamanho das gotas, bem como confirmar se essas tendências são verdadeiras para outros adjuvantes da classe de polímeros. Embora os aplicadores tendam a operar aeronaves com maior velocidades de voo, a fim de otimizar a eficiência do tempo de aplicação, essa característica pode reduzir ou silenciar os efeitos dos adjuvantes, diminuir o tamanho das gotas e aumento do potencial de deriva em aplicações aéreas de glifosato.

Bruno C. Vieira, Guilherme S. Alves, Fernando K. Carvalho, Joao Paulo A.R. da Cunha, Ulisses R. Antuniassi, Greg R. Kruger. Fonte: Applied Engineering in Agriculture. 34(3): 507-513. (doi: 10.13031/aea.12587) @2018.

Basta preencher o formulário abaixo para receber o artigo em seu e-mail.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *